31 de julho de 2009

Ilustração de Amanda Grazini


Tão fácil

Eu sou tão fácil para a paixão
Exalto-me o tempo todo
pelas coisas e pessoas
pela vida, enfim

Por vezes sinto demais
Também desconheço a medida
Haverá?!
Talvez o que se possa carregar...


A ênfase está no sentir
mas um sentir passional, assim deliberado

Só faz com que eu tenha
esse ar preocupado

Não deveriam as paixões
tornar-me leve por entre a gente?
Mas ao invés do bom grado, cá estou
involuntária mente


As coisas do mundo, serenas

Bem queria eu desfrutar

porém, do que me alimento, nada tem de acalento
É mais do que posso, é demasiado incendiar.

(Sheila Staudt)

Nenhum comentário: