18 de março de 2012

Estímulos para o sonho


Uma foto é tanto uma pseudopresença quanto uma prova de ausência. Como o fogo da lareira num quarto, as fotos - sobretudo as de pessoas, de paisagens distantes e de cidades remotas, do passado desaparecido - são estímulos para o sonho. O sentido do inatingível que pode ser evocado por fotos alimenta, de forma direta, sentimentos eróticos nas pessoas para quem a desejabilidade é intensificada pela distância. A foto do amante escondida na carteira de uma mulher casada, o cartaz de um astro do rock pregado acima da cama de um adolescente, o broche de campanha, com o rosto de um político, pregado ao paletó de um eleitor, as fotos dos filhos de um motorista de táxi coladas no painel do carro - todos esses usos talismânicos das fotos exprimem uma emoção sentimental e um sentimento implicitamente mágico: são tentativas de contatar ou de pleitear outra realidade.

Susan Sontag - "Sobre Fotografia"

2 comentários:

Gugu Keller disse...

Fantástico! Perfeito! Uma foto talvez seja, afinal de contas, entre muitas outras coisas, um tímido levante contra a inexorabilidade do passar do tempo...
GK

Sheila S.S. disse...

O incrível da fotografia é que ela comporta as mais variadas reflexões, funções, significados, e todas dignas de um sentido inquestionável...