18 de setembro de 2009

Tantas coisas e solidão

De todas as coisas que sinto em escrever, parece-me que as palavras não alcançam. Como almas rebeldes que não querem ser nomeadas, tão pouco encontrar o caminho de supostas compreensões.
Essas coisas, que às vezes intento expor, não querem ser letras, sílabas unidas, comunicantes, sentimentos desnudos, explícitos aos olhos de quem os lê.

Cabe a mim contê-las, vivê-las...
É da ordem de minha necessidade configurá-las, tratá-las assim, como confissão derramada, amparada no limite de frágeis linhas.
Mas, querem ser eu e, apenas em mim.

Negam-se em palavras, bastam-se em pensamentos.



************************************************************


Escrever é da ordem da loucura, do sufocamento. Busca do perpétuo pensamento contido na cápsula palavra.
A palavra, por sua vez, é pílula ingerida, e o efeito provocado vai de acordo com quem lhe dá significado.
Não têm identidade. Usadas e manipuladas, morrem e nascem diferentes na mente de quem as lê.

São tantas coisas e solidão.

4 comentários:

Fernanda disse...

Shei-la!
Como tu não puseste quaisquer referências a autor, presumo que tenha sido tu a escrever esta lindeza! (e não que eu duvidasse disso né?)
Eu adorei... acho que é de todos o melhor.
Às vezes, sinto vontade apenas de dançar o lápis pelo papel, como passo de dança, como pintura errante. Só pra constar...

Sheila S.S. disse...

Sim... Foi daqueles momentos em que não vinha nada, mas a vontade de escrever se fazia presente. Então, escrever sobre não conseguir escrever... hehe... Saiu isso! Mas, fiquei pensando sobre tuas palavras... "Só pra constar..." Que loucura, né?! Que necessidade é essa? Ah, não que eu queira me livrar dela...

Ana disse...

"...bastam-se em pensamentos."... sabe, às vezes acho que a palavra escrita não daria conta desses momentos... se escapasse pro papel perderia parte da pureza... e deixaria de ser aquele momento, se transformaria... eu acho. Algumas coisas só conhecem o silêncio, não o lápis. Quando cheguei na última linha... foi instintivo... li: são tantas coisas e silêncio. :))Gostei!! ...dobrei a esquina com o texto... foi só não parar de caminhar.
Concordo com o "Só pra constar..." ;) Mais música e menos silêncio... um haikai por exemplo... uma sensação no papel.

E saudade. ;)

Ana disse...

depois de tudo...diria tbm, que se as palavras não escapassem pro papel eu não poderia sentir "inveja" delas... "elas sabem mais de mim", sim. Que palavras mais bem colocadas, as da Fernanda. Como as que leio aqui. ;)